21 de mar de 2009

Diego Rivera

ABALO

Envolto em queixa
Não fui hoje o trigo,
Nem o joio
Não fui o acinte,
Nem a ferrugem da manhã sem graça
Lá fora, parece escuro TUDO!
Aqui, ainda vaga o vaga-lume!

Luz pouca,
Tempo vasto
E o soluço constante!

9 de mar de 2009

Emil Nolde

ESTRADO

Quem dera,
Fosse verdade a quimera!
A ruga que franze a testa,
esmoreceria breve.

No estrado erguido pelo descontento
Segue a vida mal servida
Ao destino arredio que caminha
na longa marcha do sustento.

No estrado erguido pelo descontento
Segue a vida dividida
E o tempo tirano a perseguir
No corpo-a-corpo dos dias
O amor resistente, que resiste,
em fortaleza.

Quem dera,
Fosse verdade a quimera!
Nada desbotaria o lúdico
E o tempo tirano,
Não resgataria o medo
de um final verecundo.


3 de mar de 2009

foto: Pierre Verger

OS BARCOS

Na sóbria manhã que nasce
Oscilam as pálpebras alertas...

Os barcos,
Dentro dos meus olhos de náufrago
Também oscilam,
no espelho de águas infinitas.

A esmo conduzo o meu corpo
Ao porto clemente:
Oh, navegantes barcos perdidos!
Deslizam pelo mar revolto
Esgotando minha sede oscilante,
Como pálpebras,
Oscilante,
Como os barcos!