28 de fev de 2016

ATO

Rufino Tamayo








  




Ato
Que desata
O nó
Capa
Que esconde
O furo
Lata
Que contém
A capa
Em cima
Do muro
Ato
Que desata
O nó
Olho
Que enxerga
O vulto
Barco
Que navega só
Corpo
Que cai
De maduro
Ato
Que desata
O nó
Vela
Que apaga
O escuro
Mão
Que carrega
O sol
Desbrava
A ânsia
Do ato
Futuro.


21 de fev de 2016

EM LUGAR ALGUM

foto arte: Márcio Jorge












Lá que me encontro
Entre águas e pedras de limo
Na linha estreita das formigas
A ouvir o recital de bem-te-vis.
Lá que me encontro
Na selva da cidade de concreto
Entre carros e horizontes de fumaça
A contornar a poda dos galhos.
Em que lugar me encontro,
No exílio do quintal secreto,
Fora da galáxia,
Longe ou perto? 



5 de fev de 2016

POR ACASO

Alberto Lestrad

Anunciei o dia
Quando o acaso ordenou
Que o bocejo
Virasse canto
Que o altar
Perdesse o santo
E a boca
Tocasse o fagote.

Anunciei o dia
Quando o acaso ordenou
Que a vida
Fosse urgente
Que a festa
Começasse de repente 
E o fim
Chegasse amanhã,
Sem alarde