3 de fev de 2009

Almada Negreiros


AMOR ABSOLUTO

Ferveu a inspiração,
Surgida do cálido amor desnudo
E as palavras escorrem sobre o papel quente
de tanto amor.

Os versos espalham o sentimento exalado
Então, o que ainda restou?
Restou o seu poder absoluto
Que amalgama corpos afins
Fenecendo a certeza equívoca
De que não há mais tempo
para amar.


"dedicado a todos que vivem ou já viveram um grande amor."