24 de jun de 2017

NAVEGANDO

Odilon Redon
















Por que te navego
Neste oceano de claridades,
Se agora fujo dos temporais?
Esta onda que bate forte
Leva-nos em cada tempo que foi belo
Trovoadas de certo existiram
Mas o cais que se formou
Trouxe festa de chegada
E o exausto navegador,
Cansado de tanta água romper,
Foi acalentado pelo balanço
Do teu corpo abrigo
Que fez a lembrança navegar
Na saudade de um porto tranquilo.                                                                 

Nenhum comentário: